Publicado em

Do abuso ao prazer

Por: Anônima

Do abuso ao prazer….

Conheci a sexualidade ainda muito criança, lembro de masturbar muitas vezes, bem novinha.

Venho de família tradicional, classe média, filha caçula, protegida de todos na rua, mas os abusos aconteciam dentro de casa, pelos empregados da família, com uma certa frequência.

Como criança, não entendia…

Mas lembro de um dos empregados do meu pai tocar-me sempre… Insinuando que daria umas “palmadas no meu bumbum”, sempre…. sempre foi assim…. até depois de adolescente, mas admito: nesse caso eu não via maldade, não levada para o lado sexual.

Até quando o abuso realmente aconteceu…. Um fim de semana, outro funcionário de meu pai….
Aproveitou-se de uma tarde que eu estava na casa dele e consumou o fato.
Tocou-me, masturbou-se, falou um monte de coisas… Desse dia em diante, acabou meu sossego.
Ele aparecia em todos os cantos, em todos os quartos, bastava eu ficar sozinha, parecia que ele sentia meu cheiro… Desse dia pra frente acabou meu sossego, eu ouvia e via coisas que eu não queria ver, que não precisava ouvir….

Acabei para o mundo, eu nunca mais me toquei, nunca mais me masturbei…

Sexo ou sexualidade para mim era crime, para minha família também.
O tempo passou, e eu esqueci completamente do que havia passado durante toda minha infância, até começar a relacionar-me com homens e não ter muito sucesso.

Minhas fantasias sexuais são nojentas, sujas, insanas…

Nunca fui de falar, comentar, ou de contar meus desejos sexuais…
Curto sadomasoquismo, adoro sexo selvagem, simulo estupros, curto orgia, sinto tesão em ver uma mulher com vários homens.. Adoro!

Tenho vergonha de tudo isso. Por isso tenho problemas sexuais no meu casamento,
tenho medo do meu marido não topar, não gostar, achar estranho…

Tenho vergonha de mim, da minha história, dos meus pensamentos…

Sinto culpa, sinto que em algum momento eu senti prazer, mas o abuso não é legal,
não é correto, por isso repugno tudo que sinto. Infelizmente sou assim….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *